Mestrado Profissional em Governança, Tecnologia e Inovação

Um mestrado profissional que tem como público-alvo os profissionais que desejam aprimoramento em processos de inovação e gestão no contexto da transformação digital.

 

INSCREVA-SE

EDITAL

Sobre o programa

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Governança, Tecnologia e Inovação (MGTI), da Universidade Católica de Brasília (UCB), é um mestrado profissional que tem como público-alvo os profissionais que desejam aprimoramento em processos de inovação e gestão no contexto da transformação digital.

A tecnologia, a gestão do conhecimento, gestão estratégica, processo decisório e sistemas de suporte à decisão, inteligência, inovação, aprendizagem organizacional e governança são estudados tanto na Administração Pública Federal como no Setor Privado. Portanto, o programa é um espaço ideal para profissionais de várias instituições, por exemplo: profissionais do Tribunal de Contas da União, da Controladoria-Geral da União, de instituições bancárias, da Administração Federal Direta.

O Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Governança, Tecnologia e Inovação teve início em 1998, sendo atualizado em 2018, no seu aniversário de 20 anos. A atualização se deu diante das novas demandas de mercado, passando a ser o primeiro mestrado profissional que abrange as novas tendências da Governança Coorporativa e Pública, inovação e tecnologia como ferramenta para a transformação digital.

O programa é ofertado quinzenalmente, no Câmpus Asa Norte, com disciplinas ministradas por dois docentes, possibilitando assim, um maior debate entre os discentes e docentes.

O MGTI tem nota 4 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e é importante salientar que o mestrado é o único no país com essas características multidisciplinares que tanto o mercado de trabalho almeja.

Área de Concentração

Governança e Tecnologia.

O MGTI possui uma carga horária total de 480 horas (32 créditos).

  • Sendo 360h (24 créditos) destinadas às disciplinas obrigatórias e
  • 120h (8 créditos) às disciplinas optativas.

O MGTI está estruturado em três linhas de pesquisa: Conhecimento Organizacional: Inteligência e Gestão Estratégica; Tecnologia da Informação e Suporte à decisão e Governança e Inovação.

A essas linhas de pesquisa que estão em consonância com sua Área de Concentração (AC) se vinculam às disciplinas obrigatórias e optativas descritas a seguir:

Disciplinas obrigatórias:

  1. Epistemologia – 4 créditos
  2. Governança na Administração Pública e Privada – 4 créditos
  3. Ciência de Dados – 4 créditos
  4. Gestão Estratégica e do Conhecimento – 4 créditos
  5. Qualificação – 4 créditos
  6. Defesa Mestrado – 4 créditos
  7. Orientação I, II, III e IV

Cada disciplina obrigatória está ligada a uma linha de pesquisa, possibilitando o caráter multidisciplinar que esperamos de nosso discente.

Disciplinas optativas:

  1. Comportamento e Cultura organizacional – 4 créditos
  2. Inteligência Competitiva – 4 créditos
  3. Gestão da Inovação – 4 créditos
  4. Machine Learning – 4 créditos
  5. Arquitetura da Informação – 4 créditos
  6. Processos Decisórios e Sistemas de Suporte à Decisão – 4 créditos
  7. Governança e Gestão na Transformação Digital – 4 créditos
  8. Modelagem de Sistemas Complexos no Contexto da Governança – 4 créditos
  9. Gestão de Riscos – 4 créditos
  10. Tópicos Avançados em Governança, Tecnologia e Inovação I – 4 créditos
  11. Tópicos Avançados em Governança, Tecnologia e Inovação II – 4 créditos
  12. Tópicos Avançados em Governança, Tecnologia e Inovação III – 4 créditos


Docentes, matriz curricular e maiores informações

Confira em nosso portal a lista de docentes, matriz curricular, projetos de pesquisa, dissertações defendidas e outras informações sobre o programa.

Conceito 4
Noturno
2 anos
24x R$ 2132,46
(61) 34487137 /7127
INSCREVA-SE

Para cursar como aluno regular, é necessário passar por um Processo Seletivo que ocorre uma vez por ano, no segundo semestre. Os aprovados iniciarão os estudos no primeiro semestre do ano seguinte.

Inscrição

Edital

Alunos especiais podem solicitar matrícula em qualquer disciplina (exceto as de Metodologia da Pesquisa e Projeto de Dissertação), e poderão cursar nesta modalidade um total de cinco disciplinas. A seleção para alunos especiais é simplificada: somente análise de currículo e histórico escolar, e está condicionada à existência de vagas em cada disciplina.

Deve ficar claro, no entanto, que não é possível concluir o Mestrado ou o Doutorado como aluno especial. Para isto, é necessário passar na seleção e tornar-se regular. A maioria dos nossos alunos geralmente começa como aluno especial e depois se torna regular. Ao passar na seleção, os créditos cursados como aluno especial, desde que tenham sido obtidos nos últimos 3 (três) anos antes da data do requerimento, serão aproveitados.

Inscrição

Edital

Linhas de Pesquisa

No Século XXI as organizações, de indistinta natureza, estão expostas a inúmeros desafios, como por exemplo, sociais, econômicos, tecnológicos, ambientais e produtivos que requerem competências essenciais para aprender a conviver e se adaptar às mudanças radicais e sistêmicas de impacto global. As agendas pública e privada iniciam elaboração de estratégias para tratar os assuntos de aumento expressivo da população mundial, de demanda de energia, de mudanças climáticas, entre outros temas globais.

Contudo, há desafios cotidianos, menos perceptíveis, que progridem e comprometem demasiadamente as competências organizacionais. Alguns deles se estabelecem em duas frentes: na ignorância de tomada de decisão e na incompetência de geração de conhecimento e soluções sinérgicas. A título de ilustração cita-se o fato da extraordinária geração de massas de dados mundial, acompanhada pela incompetência para coleta, comparação e descarte de dados, geração de informação e análise para o suporte à decisão. Em síntese, o excesso de insumo sem método de compartilhamento e decisão dificulta a aprendizagem, o compartilhamento e a confiança organizacional para a tomada de decisão consciente.

Estabelece-se, portanto, uma grande oportunidade científica, profissional, educacional e sociocultural na elaboração sistêmica de pesquisas em Conhecimento Organizacional focadas na inteligência, aprendizagem, gestão e adaptação às mudanças dos ambientes externos das organizações.

No Programa, uma das estratégias para lidar com esses desafios é posicionar-se como um agente em um ambiente em que as mudanças são promovidas por inovações, atuações sinérgicas coletivas e por aprendizagem contínua. Com o intuito de se garantir resultados expressivos e consistentes nesta estratégia, o Programa escolheu os seguintes focos de atuação:

• Inteligência − tem por propósito antever (pensamento prospectivo) tendências, sinais, movimentos estratégicos, cenários, entre outros elementos prospectivos para suportar o processo de tomada de decisão das organizações. As áreas de conhecimento intrinsecamente relacionadas são Foresight, as inteligências Organizacional, Competitiva e Estratégica.

• Estratégia − o intuito é abordar as organizações, seus ambientes interno e externo, os processos de tomada de decisão e os sistemas cognitivos e criativos de forma a permitir que se aprenda a conviver com as mudanças e adaptações requeridas para inovar. São consideradas as novas práticas de relacionamento para geração de conhecimento e inovação, como as redes de conhecimento cujo êxito tem sido limitado por ausência de competências em várias ordens, como em: gestão de relacionamentos entre atores e organizações tipicamente marcadas por valores mais humanos; geração de conhecimento compartilhado; sinergia e desempenho do sistema para resultados; e acordos de propriedade intelectual e compartilhamento de resultados entre organizações.

• Gestão − a estrutura básica consiste em desenvolver uma formação epistemológica e metodológica de como se atua nas organizações, perpassando por princípios de auto-organização, sinergia nas interações e pensamento sistêmico.

Atualmente, o conhecimento se destaca como principal fonte de diferencial competitivo e inovação nas empresas, como também como possibilidade de transformação da realidade social. Nesse contexto, teorias e conceitos vêm sendo elaborados no âmbito da Gestão do Conhecimento, privilegiando o aspecto humano do trabalhador do conhecimento.

A área de Tecnologia da Informação, considerada essencial para muitas organizações, tem sido também influenciada por essas teorias e conceitos; seja impactando diretamente na concepção e projeto (design) de novas tecnologias que busquem responder aos problemas complexos de uma organização; ou, pela própria natureza das atividades de projetos de software que são de intensa utilização de conhecimento, requerendo abordagens teóricas que permitam reconhecer esse conhecimento como importante ativo das organizações de software.

A presente linha visa investigar soluções para problemas relacionados ao conhecimento e seus processos de gestão, contribuindo para uma evolução teórica e prática, a partir da ótica da tecnologia. Dessa forma, são exploradas contribuições de diferentes domínios de conhecimento: Inteligência Artificial, Processamento de Imagens e Sinais, Ontologias, Bibliotecas digitais, Sistemas para Web, Aprendizagem e Trabalho Colaborativos, Engenharia de Software, Qualidade de Software e Segurança.

A Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis, regulamentos e instituições que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. Essa linha de pesquisa abrange o estudo das relações entre os diversos atores envolvidos (stakeholders) e os objetivos da empresa. Os principais atores são os acionistas, a alta administração e o conselho de administração. Outros participantes da Governança Corporativa são os funcionários, fornecedores, clientes, bancos e outros credores, instituições reguladoras (como a CVM e o Banco Central), o meio ambiente e a comunidade em geral.

A Governança de TI, enquanto parte integrante da Governança Corporativa, é uma estrutura de relações, controles e processos que dirige a área de Tecnologia da Informação de uma organização, a fim de adicionar valor ao negócio através do gerenciamento balanceado do risco com o retorno dos investimentos de TI. Para muitas organizações, a informação e a tecnologia que suportam o negócio representam o seu mais valioso recurso. Além disso, num ambiente de negócios altamente competitivo e dinâmico é requerida uma excelente habilidade gerencial, em que a TI deve dar suporte a tomadas de decisões de forma rápida, constante e com custos aceitáveis.

Na atualidade, a questão da Governança de TI reveste-se de grande relevância, haja vista a dificuldade das organizações de garantir aos acionistas o retorno dos elevados investimentos em Tecnologia da Informação com a adequada gestão do risco. Há, portanto, necessidade de a Academia contribuir nesse debate, oferecendo modelos e metodologias que aportem Governança à área de TI das organizações, por meio da elaboração sistêmica de pesquisas com foco nos aspectos de processos decisórios, de controle e de gestão desses temas.

LABORATÓRIO 

A estrutura dos laboratórios de inovação da UCB foi idealizada para inspirar a interdisciplinariedade e a construção de um conhecimento significativo para os envolvidos. O espaço é adequado para pesquisa, compartilhamento de ideias e debates. O ambiente propício motivado pelas atividades diferenciadas propostas constitui um diferencial que a UCB consolidou neste curso com uma experiência de 21 anos.

Ficou alguma dúvida?

Deixe seus dados e entraremos em contato.