Inovação em Comunicação e Economia Criativa

O Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa visa trazer o suporte conceitual e metodológico à criatividade necessária em tempos de mutação social, cultural, tecnológica, educacional e econômica e abrir possibilidades de aplicação prática de propostas inovadoras, imprescindíveis aos processos comunicacionais do setor da economia criativa.

 

INSCREVA-SE

EDITAL

Sobre o programa

O Programa de Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa é o primeiro e único mestrado profissional em comunicação no Centro-Oeste. Ele foi criado para atender à alta demanda existente na área da Economia Criativa, em articulação com os saberes comunicacionais, especialmente aqueles vinculados ao desenvolvimento das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) e dos meios digitais aos quais a economia criativa está diretamente relacionada.

O mestrado profissional é uma modalidade que promove o necessário diálogo da Universidade com o mercado de trabalho e amplia as possibilidades de atuação profissional ao estimular a produção técnica aliada à produção intelectual em diversos segmentos ligados tanto à comunicação e às artes (publicidade, rádio e TV, audiovisual, fotografia, design, editoração, música, moda, poesia) quanto ao empreendedorismo, à governança e à gestão da comunicação nos setores público, privado e no terceiro setor.

O Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa da UCB é reconhecido com conceito 4 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o que qualifica o curso com reconhecimento acadêmico.

O Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa significa remeter-se a processos de criação do novo, tanto quanto de renovação daquilo que se torna desgastado pelo efeito do tempo e já não mais adaptado à nova realidade.

A revolução digital ocorrida nas últimas décadas, as constantes inovações tecnológicas às quais a cultura está sujeita e por meio das quais ela se recria, em um processo dinâmico aparentemente infindável, força a transformação das estruturas de pensamento que fundamentam os modelos de organização social, cultural, econômicos e toda a criatividade subsequente. Sendo assim, e levando em conta o contexto comunicacional, é preciso criar condições para a emergência do novo e do renovado. Isto é o que entendemos aqui por inovação comunicacional, diretamente ligado ao progresso tecnológico, mas não restrito a ele.

Trata-se de estruturas do pensamento e da sensibilidade, de modos de concepção e percepção, de modos de autorreflexão e autoavaliação que precisam ser despertados e podem impulsionar a realidade da própria Comunicação enquanto fenômeno, enquanto sistemas e processos e também enquanto área de atuação profissional.

A relação dinâmica que ora se estabelece, conceitualmente e na prática, entre produção cultural e economia, é portadora de novas perspectivas para os futuros profissionais da comunicação, envolvidos de maneira central na rede de agentes de uma lógica econômica que necessita se manter a serviço da humanidade e, consequentemente, da cultura. Sendo assim, a presente área de concentração visa a trazer o suporte teórico, conceitual e metodológico à criatividade necessária em tempos de mutação social, cultural, tecnológica, educacional e econômica e abrir possibilidades de aplicação prática de propostas inovadoras, imprescindíveis aos processos comunicacionais do setor da economia criativa.

Área de Concentração

Tratar de inovação em Comunicação significa remeter-se a processos de criação do novo tanto quanto de renovação daquilo que se torna desgastado pelo efeito do tempo e já não mais adaptado à nova realidade. A revolução digital ocorrida nas últimas décadas, as constantes inovações tecnológicas às quais a cultura está sujeita e através das quais ela se recria, em um processo dinâmico aparentemente infindável, força a transformação das estruturas de pensamento que fundamentam os modelos de organização social, cultural, econômicos e toda a criatividade subsequente. Sendo assim, e levando em conta o contexto comunicacional, é preciso criar condições para a emergência do novo e do renovado. Isto é o que entendemos aqui por inovação comunicacional, diretamente ligado ao progresso tecnológico, mas não restrito a este. Trata-se de estruturas do pensamento e da sensibilidade, de modos de concepção e percepção, de modos de auto-reflexão e auto-avaliação que precisam ser despertados e podem impulsionar a realidade da própria Comunicação enquanto fenômeno, enquanto sistemas e processos e também enquanto área de atuação professional.

A relação dinâmica que ora se estabelece, conceitualmente e na prática, entre produção cultural e economia é portadora de novas perspectivas para os futuros profissionais da comunicação, envolvidos de maneira central na rede de agentes de uma lógica econômica que necessita se manter a serviço da humanidade e, consequentemente, da cultura. Sendo assim, a presente área de concentração visa a trazer o suporte teórico, conceitual e metodológico à criatividade necessária em tempos de mutação social, cultural, tecnológica, educacional e econômica e abrir possibilidades de aplicação prática de propostas inovadoras, imprescindíveis aos processos comunicacionais do setor da economia criativa.

Docentes, matriz curricular e maiores informações

Confira em nosso portal a lista de docentes, matriz curricular, projetos de pesquisa, dissertações defendidas e outras informações sobre o programa.

Conceito 4
Integral
2 anos
24x R$ 2132,47
(61) 3356-9104
Não ofertado.
INSCREVA-SE

Processo Seletivo

Para cursar como aluno regular, é necessário passar por um Processo Seletivo que ocorre uma vez por ano, no segundo semestre. Os aprovados iniciarão os estudos no primeiro semestre do ano seguinte.

Inscrição

Edital

Alunos especiais podem solicitar matrícula em qualquer disciplina (exceto as de Metodologia da Pesquisa e Projeto de Dissertação), e poderão cursar nesta modalidade um total de cinco disciplinas. A seleção para alunos especiais é simplificada: somente análise de currículo e histórico escolar, e está condicionada à existência de vagas em cada disciplina.

Deve ficar claro, no entanto, que não é possível concluir o Mestrado ou o Doutorado como aluno especial. Para isto, é necessário passar na seleção e tornar-se regular. A maioria dos nossos alunos geralmente começa como aluno especial e depois se torna regular. Ao passar na seleção, os créditos cursados como aluno especial, desde que tenham sido obtidos nos últimos 3 (três) anos antes da data do requerimento, serão aproveitados.

Inscrição

Edital

Linhas de Pesquisa

Esta linha de pesquisa visa a investigar estratégias de empreendedorismo, governança e gestão da comunicação no campo da economia criativa propondo, desse modo, uma formação profissional a partir da gestão comunicacional de iniciativas da economia criativa (projetos culturais, design, gestão de negócios e produção nos setores das indústrias criativas ligados à comunicação em suas interfaces com as tecnologias, a educação e a cultura). Atividades como a publicidade e propaganda, o jornalismo e a gestão da comunicação integrada são estudadas no contexto dessas iniciativas. Considerando as interfaces da economia criativa com os demais setores da economia são pensadas estratégias de empreendedorismo, governança e gestão nos setores público, privado e no terceiro setor. Startups, economia virtual, captação de recursos, isenção fiscal, fundos, parcerias público-privadas, monetização e outras possibilidades são trabalhadas como processos contemporâneos de economia criativa.

Esta linha de pesquisa visa a desenvolver projetos e metodologias de inovação tecnológica e criativa para a Comunicação e suas interações com o design, a arte, a educação e a cultura, atuando assim na formação de profissionais capacitados para a produção contemporânea de imagens e suas diversas aplicações em áreas e modelos midiáticos distintos. São pensados processos de produção criativa em audiovisual não apenas para mídias tradicionais como fotografia, cinema, TV e rádio, mas também práticas intermediais contemporâneas. Assim, os produtos variam desde a criação de videocasts, podcasts, webdocumentários, videoarte, ações em social media e games, até chegar a especificidades da produção como direção de fotografia, montagem, pós-produção, imagens geradas por computador, direção de arte. Estas produções podem ser aplicadas tanto a áreas específicas do meio cultural quanto a de outros setores (vídeos institucionais, campanhas publicitárias, ações transmídia, videoaulas), deixando o egresso pronto para atuar na imensa diversidade de afunilamentos destas competências.

ESPAÇO CRIATIVO – ESTRUTURA E EQUIPAMENTOS

O Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa integra a área de comunicação da UCB, composta por vários cursos, e conta com Espaço Criativo organizado em vários laboratórios:

Centro de Rádio e Televisão – CRTV

O Centro de Rádio e Televisão é o laboratório de audiovisual dos cursos de Comunicação. Educadores e estudantes, com o apoio de técnicos da área, realizam atividades de produção e edição em áudio e vídeo, nos sistemas analógico e digital, no âmbito de componentes curriculares e de projetos dos próprios cursos. Também participa de atividades da extensão, bem como de instâncias científicas e administrativas da universidade e da comunidade. Conta com equipe de profissionais técnicos, como cinegrafistas, produtores, sonoplastas e editores de imagem, que prestam apoio prioritário ao corpo docente dos cursos de Comunicação, ajudando durante as aulas práticas nos estúdios de rádio e televisão. Atendem também os estudantes, fornecendo-lhes suporte técnico e instruções que os auxiliem a desenvolver seus projetos audiovisuais dos diversos componentes curriculares do seu curso.

Com piso liso apropriado ao deslocamento de câmeras, tratamento acústico e térmico, o Laboratório de TV ocupa área de 181 m². Compõe-se de estúdio, sala de switcher com direção de TV, estações de computação gráfica, ilhas de edição analógica e pós-produção digital não linear, além de salas de coordenação e produção de programas para a TV UCB – canal universitário com veiculação na internet. Dispõe ainda de plataforma digital com storages, estações de edição não linear e computação gráfica, destinadas à pesquisa de conteúdo multimídia, games e interatividade na televisão. O Laboratório de Rádio conta com área de produção e tecnologia digital de última geração, proporcionando as condições para o ensino/aprendizagem das técnicas de linguagem do rádio. No local é dada orientação específica aos estudantes em componentes curriculares – Radiojornalismo e Produção e Edição em Rádio. O laboratório também contribui com outros cursos da UCB, inclusive integra programas da extensão.

Laboratório de Produção Gráfica

As experiências estéticas ligadas às áreas de arte, redação e experiências audiovisuais contribuem para que, semestralmente, os monitores e estagiários sejam capacitados em softwares de edição para arte final e, também, audiovisual. Dessa forma, os laboratórios, também chamados de Espaço Criativo, reúnem experiências estéticas, gráficas, manuais e digitais.

Laboratório Digital

O laboratório possui 31 computadores, dos quais seis são iMacs de 28,7 polegadas, completamente equipados para design e diagramação de jornais e revistas, edição de imagens e vídeos; e dois PCs configurados especialmente para edição audiovisual. O laboratório é equipado ainda com dois laptops Dell e dois Macbook Pro para realização de coberturas on-line ou externas, como viagens de repórteres a serviço dos veículos; e ainda duas câmeras fotográficas Canon T3i com objetivas 70-200 mm, também para os trabalhos de cobertura fotográfica e audiovisual, já que o equipamento capta em full HD. Pensado para atender à demanda multi e transmídia e também aos anseios do curso por um espaço de discussão coletiva, a configuração espacial do laboratório, projetada com a participação dos professores do curso de Arquitetura da UCB, é diferenciada. No centro do laboratório, há grande mesa de reunião de pauta em torno da qual repórteres, fotógrafos e designers se reúnem para discutir pautas, fechamento e outros temas importantes. É o espaço que permite ao estudante iniciar a integração e familiarização com ambientes próximos aos de redações jornalísticas e ao mercado de trabalho em geral.

Núcleo de Fotografia

O estúdio fotográfico ocupa área de aproximadamente 80 m², em duas salas conjugadas. Na Sala K 257, há um almoxarifado no qual são armazenados todos os equipamentos, a documentação e o material de escritório, e também uma secretaria para o agendamento de empréstimos de equipamentos e atendimento à comunidade. A Sala K 258 funciona como estúdio propriamente dito, sendo reservada a estudantes e professores para aulas práticas e expositivas de fotografia, produção, manipulação e tratamento de imagens. A infraestrutura operacional conta com equipamentos especializados para iluminação artificial de fotografia, como também equipamentos fotográficos analógicos e digitais. São quatro computadores com softwares especializados para manipulação e edição fotográfica à disposição de estudantes e professores e outro computador que atende às necessidades da secretaria. A equipe é formada por técnicos com conhecimentos específicos de fotografia, experiência em manipulação dos equipamentos de iluminação e também no uso e conservação das máquinas fotográficas, e conta com o apoio de estagiários remunerados.

Ficou alguma dúvida?

Deixe seus dados e entraremos em contato.