leia

Relações Internacionais: o guia completo da profissão

Por Por Eduarda Santos

Temas como relações entre os países, política, história, cultura e aspectos sociais te fascinam? Já pensou em estudar Relações Internacionais? Não há monotonia na vida de quem opta por essa profissão, cheia de desafios e negociações estratégicas.

Ainda não se convenceu? Conheça as diversas áreas de atuação em relações internacionais e o que faz dessa uma escolha promissora, com excelentes oportunidades. Veja este guia completo da profissão e saiba se você tem perfil para o curso!

Afinal, o que faz o profissional de relações internacionais?

Afinal, o que faz o profissional de relações internacionais?

No dia a dia, o profissional de relações internacionais faz análises da conjuntura política, econômica e social, acompanha de perto os fenômenos internacionais para compreender as tendências e transformações nas relações. Com isso, ele consegue orientar e atuar como interlocutor, negociador e agente, seja para empresas privadas ou órgãos públicos. O fato é que o internacionalista, como é chamado o profissional de relações internacionais, é muito cobiçado por diversos setores, o que lhe abre o leque de atuação.

Com a globalização, a demanda pelo internacionalista nas empresas privadas só tende a crescer para profissionalizar a relação com parceiros e fornecedores estrangeiros.

O setor público tradicionalmente precisa dos serviços desses profissionais em diversas esferas: prefeituras, ministérios ligados à Presidência da República e embaixadas. Para preencher essas vagas, o profissional deve prestar concursos públicos. Há ainda outros campos de atuação, como organizações internacionais, logística e agências de câmbio.

Um ponto importante a considerar na escolha da carreira é a perspectiva de remuneração, certo? Os ganhos iniciais de um internacionalista variam de R$ 1,2 mil a R$ 2 mil. A renda média mensal do escalão intermediário é de R$ 8 mil a R$ 10 mil e um profissional no auge da carreira chega a ganhar mais de R$ 20 mil por mês, mas tudo depende das áreas escolhidas.

O que se estuda no curso de relações internacionais?

O que se estuda no curso de relações internacionais?

Para se formar em Relações Internacionais, o profissional deve ter uma sólida formação humanística com base em três grandes áreas: Política, Direito e Economia.

As universidades costumam estruturar os cursos com base em disciplinas obrigatórias das quais fazem parte matérias como Introdução ao Estudo das Relações Internacionais, Economia, Introdução à Ciência Política, Iniciação à Pesquisa Científica, Teoria das Relações Internacionais, Direito das Relações Internacionais, Filosofia Política, Humanidade, Sociedade e Ética, Empreendedorismo, Organização e Instituições Internacionais, entre muitas outras.

Além disso, há uma série de disciplinas que simulam a prática profissional, como Negociações Internacionais, Comércio Exterior e Estratégias de Negócios Internacionais, assim como disciplinas optativas como Língua Brasileira de Sinais (Libras), Inglês Instrumental, Tópicos Especiais em Relações Internacionais, História Econômica Geral, Economia Brasileira Contemporânea, Diplomacia e História da Filosofia Contemporânea, que completam a formação da graduação.

Como saber se relações internacionais é o curso ideal para você?

Como saber se relações internacionais é o curso ideal para você?

Com base em tudo o que foi apresentado, dá para sacar que relações internacionais é um curso para quem gosta de ler, certo? Também é importante gostar de estudar teoria, pois só um conhecimento teórico consistente vai permitir a desenvoltura necessária para as articulações e a tomada de decisões no dia a dia profissional.

É fundamental também ser um aluno curioso, com muito interesse por história, geopolítica, sociologia e filosofia. Manter-se atualizado sobre os grandes acontecimentos internacionais, gostar de analisar diferentes pontos de vista de um mesmo fato e questionar-se sobre a origem dos problemas sociais no mundo são atitudes importantíssimas para um aspirante à carreira de relações internacionais.

Dominar línguas estrangeiras é essencial. Então, a facilidade para aprender idiomas será uma habilidade que vai ser muito vantajosa na vida desses profissionais. Inglês e espanhol são praticamente obrigatórios, mas outras línguas como o francês e o mandarim também estão em alta. Dependendo da empresa ou do país em que for trabalhar, poder comunicar-se em um idioma menos comum será um diferencial.

3 coisas que você deve saber sobre relações internacionais antes de entrar no curso

3 coisas que você deve saber sobre relações internacionais antes de entrar no curso

 

1) Ser internacionalista não significa ser diplomata

Muita gente, quando pensa em relações internacionais, pensa em tornar-se um diplomata. É importante ter em mente que a carreira diplomática não está ligada ao curso de Relações Internacionais.

Apesar de a carreira diplomática demandar muitas habilidades do profissional de relações internacionais, como representar o Brasil perante a comunidade das nações, colher informações necessárias à formulação de nossa política externa, participar de reuniões internacionais e nelas negociar em nome do país, participar de missões no exterior e promover a cultura e valores do povo brasileiro, profissionais formados em outras áreas também podem prestar o concurso do Itamaraty e atuar como diplomatas.

Em geral, é preciso fazer um curso preparatório para ser aprovado no Concurso de Admissão do Itamaraty e, então, passar por um treinamento intenso e contínuo. Se a diplomacia é um interesse do aluno, é importante conhecer esse caminho antes de começar o curso. Há, como já mencionamos, uma infinidade de outras possibilidades no setor público e privado para profissionais de relações internacionais.

2) Trata-se de um mercado de trabalho em ascensão

Até por confundir a carreira de relações internacionais com a carreira diplomática, muita gente acredita que há poucas oportunidades para profissionais de relações internacionais. Como já vimos, isso não é verdade.

3) Quais são suas reais aptidões?

Antes de optar pelo curso, avalie suas verdadeiras aptidões. É preciso ter interesse por línguas estrangeiras, história e geografia. Até aí, para os cursos de comunicação esses também são interesses recomendáveis, não é mesmo? Para ser um bom relações internacionais, é preciso também ser mediador e hábil na resolução de conflitos, além de ter pensamento analítico e ser extremamente estratégico.

Você acha que reúne essas aptidões e qualidades? Então, possivelmente a carreira de relações internacionais será uma escolha excelente para você.

Preparado para dar o primeiro passo em direção à uma carreira de sucesso? Então, agora que você identificou suas principais motivações e habilidades naturais, na hora de você fazer o Curso da Relações Internacionais da UCB!! Conte conosco para te ajudar nesta nova jornada.

 

Tags: Relações Internacionais

Receba os melhores conteúdos no seu e-mail!