leia

Um guia completo para a Biomedicina Estética

Por Por Cristiane Silva

Diante de um mercado de beleza e bem-estar em ascensão no Brasil e no mundo todo, a Biomedicina Estética se tornou uma das habilitações mais procuradas no país, sendo uma excelente opção para quem pensa em cursar Biomedicina, mas não quer se restringir ao trabalho em laboratórios de análises clínicas. 

Você também tem interesse em saber mais sobre a área e as melhores oportunidades desse segmento? Então não deixe de conferir o nosso guia que traz tudo sobre Biomedicina Estética:

O que é Biomedicina Estética?

A Biomedicina Estética é uma área de atuação especializada em diferentes procedimentos e tratamentos preventivos do envelhecimento fisiológico do organismo e disfunções estéticas faciais ou corporais, com o objetivo de promover a saúde e o bem-estar físico e estético dos pacientes

O Biomédico Esteticista possui conhecimentos aprofundados sobre a derme e seus anexos, como pelos, unhas e glândulas sebáceas e sudoríparas, assim como do tecido adiposo e do metabolismo. Esse profissional é habilitado para realizar tratamentos com o uso de métodos invasivos não-cirúrgicos, tais como a aplicação de toxina botulínica e preenchedores, além de outros procedimentos como laserterapia, luz intensa pulsada e peelings químicos e mecânicos.

Uma área muito promissora, a Biomedicina Estética é relativamente nova e somente em 2010 foi reconhecida pelo Conselho Federal de Biomedicina, o que permitiu aos Biomédicos trabalhar nesse campo. 

Hoje, os Biomédicos Esteticistas possuem uma associação, a Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética (SBBME), sendo a única classe de biomédicos com um órgão específico para regulamentação. 

Em que áreas o Biomédico Esteticista pode atuar?

O campo de atuação dos graduandos em Biomedicina é amplo e repleto de oportunidades, sendo a Biomedicina Estética uma das profissões mais promissoras e valorizadas atualmente

Dentro desse campo, há diversos procedimentos e atividades estéticas em que o Biomédico pode atuar, todos autorizados pelos conselhos regionais, tais como:

  • Procedimentos injetáveis, perfurocortantes e escarificantes não invasivos: carboxiterapia, microagulhamento, toxina botulínica, entre outros;
  • Laserterapia;
  • Eletroterapia;
  • Exames laboratoriais, como análises clínicas metabólicas;
  • Prescrição e receita de substâncias e medicamentos para fins estéticos tais como cosméticos, cosmecêuticos e nutricosméticos, medicamentos manipulados não controlados, entre outros;
  • Responsabilidade técnica por estabelecimentos que executam atividades com fins estéticos;
  • Pesquisas e trabalhos em biomedicina aplicados à estética e suas tecnologias e procedimentos;
  • Estudo e ensino em cursos profissionalizantes de graduação e pós-graduação na bIomedicina estética.

Como é o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho para o Biomédico Esteticista tem aumentado constantemente no Brasil. Hoje, o país ocupa o 2º lugar em número de cirurgias plásticas no mundo, além de o mercado nacional de cosméticos ser considerado um dos setores industriais com maior crescimento. 

Com um mercado de trabalho em plena ascensão, o que não falta são oportunidades  para atuar na área da estética. Dessa forma, o Biomédico Esteticista pode trabalhar tanto como profissional liberal em consultórios e clínicas especializadas quanto em empresas relacionadas à indústria do bem-estar, saúde, envelhecimento e longevidade saudável.

Como se preparar para atuar em Estética?

Assim como na Medicina e em outras áreas do conhecimento humano, a formação acadêmica e prática é essencial para o exercício da Biomedicina Estética.

O primeiro passo para ingressar na área é cursar a faculdade de Biomedicina. A graduação tem duração média de quatro anos e uma grade curricular focada no campo das Ciências Biológicas, com disciplinas como biologia celular e molecular, genética e hematologia clínica. 

Além das disciplinas fixas da grade curricular, há ainda várias disciplinas optativas que permitem que o estudante já comece a focar sua carreira nas áreas de maior interesse. Atualmente, a Biomedicina Estética faz parte da grade curricular básica do curso, mas para seguir a carreira, não basta concluir o bacharelado. 

Para comprovar qualificação e habilitar-se depois de formado, o formando precisa ser registrado no Conselho Regional de Biomedicina e preencher determinados requisitos técnicos que podem ser conquistados com estágios na área estética. Também é possível realizar uma especialização no campo, que oferece ao futuro profissional um conteúdo teórico e prático sobre procedimentos avançados.

 

Tags: Biomedicina

Receba os melhores conteúdos no seu e-mail!