leia

Educação física ou fisioterapia? Confira como escolher o curso ideal

Por Cristiane Silva

Muitos estudantes ficam em dúvida entre seguir carreira em educação física ou fisioterapia. As duas áreas têm semelhanças e podem ser complementares, mas há diferenças entre as carreiras possíveis para os futuros profissionais. Neste post, contamos um pouco mais sobre o mercado de trabalho de cada formação para ajudar na sua escolha.

Os profissionais, sejam formados em Educação Física ou Fisioterapia, trabalham diretamente com pessoas. Sempre focados no desempenho físico, devem ter conhecimento do corpo humano e contam com um amplo campo de atuação. 

Oportunidades de trabalho

O mercado de trabalho para quem faz educação física concentra-se em dar aulas em academias, treinar atletas em clubes ou atuar como personal trainer. Este profissional também encontra boas oportunidades para lecionar em escolas de ensino fundamental e médio.

Já o formado em fisioterapia pode trabalhar em hospitais, ambulatórios, centros de recuperação, clínicas especializadas, unidades de tratamento intensivo (UTIs) de hospitais, clubes esportivos, empresas de fisioterapia do trabalho, ou como autônomo, prestando atendimento domiciliar. O trabalho é mais focado na recuperação do paciente.

O público atendido é, por sinal, o que define as oportunidades de trabalho. Os fisioterapeutas dedicam-se exclusivamente a pacientes sob cuidados médicos ou com risco de desenvolver alguma lesão. Já os profissionais de educação física podem atuar com pessoas que não apresentam disfunções de saúde.

Os formados em educação física ou fisioterapia podem, ambos, atuar com ginástica laboral e pilates, mas também com essa separação no foco em relação ao tipo de público.

Salários

Os salários variam conforme a região, o porte da empresa contratante e o nível de experiência do profissional. Os fisioterapeutas iniciantes têm remuneração média de R$ 1.600 em empresas pequenas e de R$ 2.800 nas grandes. Os profissionais master chegam a ganhar entre R$ 3.200 e R$ 5.400.

Já na educação física, a carreira começa entre R$ 1.400 e R$ 2.400, para uma posição na categoria  júnior. Os profissionais mais especializados podem receber, em média, de R$ 2.725 (empresas pequenas) a R$ 4.600 (grande porte).

Por isso, é fundamental investir em uma formação sólida e estar sempre atualizado, buscando especializações para elevar as chances de sucesso e garantir uma boa remuneração em ambas as carreiras. E, claro, construir um bom histórico profissional.

 

Tags: Educação Física

Receba os melhores conteúdos no seu e-mail!